O PODER vem de DENTRO!


Baixar este AudioBlog (Botão direito > salvar como)

Fui contratada para dar UP na apresentação de uma colaboradora. Antes de conversar com a jovem, fiz o briefing com o gestor da área, e a ÚNICA informação mais relevante que ele me passou e que ele se preocupava era: “ Lena, precisamos tirar, ou melhor, EXORCIZAR o jeito caipira dessa minha funcionária. Estou tentando de tudo, pego no pé dela constantemente, porque quero o melhor para ela. Ela precisa ter jeito de mulher EXECUTIVA.”

Dei meu típico sorriso de Monalisa, fiz mais algumas perguntas, e fiquei curiosa para conhecer a tal “caipira”.

Iniciamos nosso bate papo, e minha percepção foi de uma mulher muito inteligente e determinada, porém perdida. Fiz a seguinte pergunta pra ela:  “Você quer ser executiva? Por quê?”  A resposta foi um discurso pronto, mas pensei “convenhamos colega, você está falando com uma especialista em comunicação”. Ela não me convenceu, dava para notar que o discurso não era verdadeiro. Então mudei minha estratégia fazendo outra pergunta: “Nossa meta vai ser te tornar uma executiva ou uma CAIPIRA FODÁSTICA e EMPODERADA???”

Ela arregalou os olhos, ficou sem palavras, e desabou na minha frente. A Empresa queria o “melhor” para a jovem, mas esqueceram de perguntar se ela QUERIA mudar sua essência. E eu contei para ela um segredinho: O que realmente importa no mundo dos negócios não é seu sotaque, mas sim o seu RESULTADO.

Nosso objetivo mudou. A jovem ficou com sorriso diferente, mais leve, e com a certeza de que seria protagonista da sua história do seu jeito “caipirona” mesmo.

Eu me vi nela, através dos estereótipos que algumas pessoas insistem em criar, como se fôssemos “carros em série”. E eu tenho PAVOR de padrões, portanto resolvi escrever algumas considerações sobre AUTENTICIDADE.

Quando abrimos mão de quem somos para satisfazer os outros, estamos dando as costas para nós mesmos e para nossos sentimentos. Ser AUTÊNTICO é viver diariamente o que se é, ou seja, é ser VOCÊ em sua essência e conseguir, assim, se “assumir”, mesmo com todos as barreiras impostas pelo preconceito social.

Uma peça do quebra-cabeça não deve tentar se “encaixar” no meio de todas as outras peças. Uma hora ela simplesmente encontra o seu lugar adequado e, por fim, fica com as outras que lhe correspondem.

Quando você se permite ser “você”, como dito anteriormente, acaba possibilitando que o mundo, de fato, te VEJA, e te AME do jeitinho que você é.

Contudo, alguns se afastarão, irão te evitar e te criticar. Mas pense que essas são pessoas que não se encaixam em sua vida e não sustentam a sua alegria, de qualquer maneira. IGNORE-OS! DEIXE-OS IR! Será até bom para que eles vivam seus próprios caminhos.

As pessoas muitas vezes se guiam pelo que acreditam que deveriam ser, e não pelo que realmente são. Vivem condicionadas demais pelos julgamentos dos outros, tentando pensar, sentir e se comportar da maneira que os outros dizem que se deve fazer.

Se você é tímido te criticam, se é extrovertido também. Nos estudos, alguns recomendarão que pegue pesado, outros dizem para relaxar e aproveitar o tempo no colégio. No trabalho, terão aqueles dizendo que você não trabalha o suficiente ou que está desperdiçando seu talento. Até nos encontros (do estilo romântico) podem nos fazer pensar em coisas definidas como inadequadas, e isso vai desde como se vestir ou o corte de cabelo até a preocupação de saber o que falar, para que seja agradável.

Mas neste mundo maluco, há, às vezes, pequenas coisas que nos trazem para o chão, nos trazem de volta para nossos EUS autênticos.

Como saber se estamos vivendo autenticamente?

Uma pessoa que não vive mentindo para o seu próprio eu, ou seja, é autêntica, é muitooo mais feliz. Quando alguém se conhece e se entende, consegue criar uma harmonia interior, uma boa relação intrapessoal. Pela primeira vez, se sente equilibrado e passa a acreditar que tudo ficará bem. Como o famoso escritor Ralph Waldo Emerson disse, “ser você mesmo em um mundo que está constantemente tentando transformá-lo em outra coisa é a maior realização”.

O Autoconhecimento é a chave para a LIBERTAÇÃO. Como a vida não é uma linha reta, livre de sofrimentos e momentos de crises e angústias, mas muito pelo contrário, o importante é saber que são esses momentos que podem nos ensinar a como nos adaptar melhor ao novo.

A ruptura de rotina, o luto e o sofrimento nos fazem recuar emocionalmente, e a única saída se torna apelar para o autoconhecimento em busca de respostas para se adaptar ao acontecimento. Nessa reflexão, é possível amadurecer cada vez mais. Mas não são somente as circunstâncias de crise que nos fazem refletir, pois na alegria e na satisfação também entra-se em contato com o que realmente nos preenche e adquire-se sabedoria para buscar o bem estar pessoal.

Portanto, quando você vive de forma autêntica, conecta-se com sua alma, com seu passado, presente e seu futuro. O que condiz com a proposta de Epicuro, filósofo grego, que explicava a importância de cuidar da própria alma, dizendo que nunca é cedo demais nem tarde demais para tal ato. Você se sente vivendo seu destino honestamente e sabe qual é seu propósito na Terra. E isso ajuda a te manter no chão.

Lembre-se que tudo que há em você, SÓ existe em você. Este conjunto de habilidades, personalidades, talentos e emoções são suas preciosidades e te tornam um indivíduo ÚNICO.

Agenda para treinamentos com Lena Souza? acesse: http://www.superatoria.com.br

Envie seu comentário

Atendimento Whats